Selecione seu idioma

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Albert o herói


Prologo

O ano é 1380 AD(²)

No vilarejo de Rokan localizada a sul da cidade-capital Alexandria, começa a nossa historia, Albert um jovem de 15 anos, de estatura mediana, cabelos e olhos castanhos, filho de fazendeiros, leva uma vida bastante simples, sempre ajudando seu pai nas tarefas da fazenda, e sempre encontrando algum tempo para aprender a arte da espada com um velho espadachim de nome Fang que mora nas proximidades da vila.
O jovem Albert segue seu ritual diário, após fazer sua refeição matinal e terminar suas tarefas do dia na fazenda (que incluem ordenhar a vaca, alimentar os porcos e as galinhas), ele sai de sua casa em disparada rumo à encosta mais alta da vila. Neste local em baixo de uma arvore se encontra o memorial do grande herói Fargos, uma grande escultura de pedra com uma espada feita em bronze encravada no centro.

Ele chega ofegante ao local que é iluminado pelo sol matinal, se aproxima do memorial, para por alguns segundos e lê como de costume os dizeres:

'Em memória do Grande Herói Fargos, nascido neste vilarejo e que morreu protegendo este mundo do temível Demo-Dragão de Devon(³)'

- Um dia serei como Fargos um grande herói e protegerei o mundo com a minha espada!

Assim que termina de pronunciar sua frase Albert escuta passos atrás dele e ao se virar pode ver um rosto conhecido. Um Jovem de longos cabelos loiros presos em um rabo de cavalo, de olhos azuis, um pouco mais alto do que Albert, mas da mesma idade, trajando roupas de boa qualidade, uma blusa de seda azul e uma calça branca. Seu nome é Vicent Brandeles, herdeiro dos Brandeles uma nobre família com ligação com o rei de Alexandria, mesmo tendo recebido uma educação nobre, não se liga a títulos e formalidades e tem admiração pela humildade e Inspiração de Albert a quem considera seu mais precioso amigo.

- Albert, para variar você esta neste memorial, acredito que até mesmo O Grande Fargos já não deve agüentar mais a sua cara! - Fala Vicent em um tom brincalhão enquanto sorri.

- Hora não diga bobagens Vicent, venho aqui em busca da inspiração para uma aventura que me transformará em um grande herói! -Responde Albert sorrindo e com um brilho nos olhos, ao reparar nesse olhar, Vicent pensa que isso seria sinal de encrenca, afinal sempre que Albert começava com essas historia de aventuras e fazia aquele olhar, eles se metiam em confusão como quando resolveram invadir a casa do velho espadachim porque Albert achava que o velho guardava uma espada mágica, no final acabaram levando uns bons cascudos do velho que de certa forma simpatizou com eles e decidiu que se queriam ser heróis deveriam aprender a lutar primeiro e foi assim que ganharam um mestre, mas esse foi um final feliz perto das varias situações ruins que enfrentavam, em meio a esse turbilhão de lembranças, os pensamentos de Vincent são interrompidos por Albert.

- No que estas a pensar com esta cara de bobo? Deixe-me te contar o que escutei ontem de um conversa entre meu pai e o capitão da Guarda. Noticias chegaram do que parece ser a presença de goblins nas proximidades e estão atacando os viajantes! Esta é a chance que esperávamos! Vamos colocar em pratica os ensinamentos do mestre Fang dando uma lição nesses monstros malditos!
Vincent sabia que não era uma boa idéia, porém se ele se negasse a ir, Albert iria sozinho e ele acabaria se culpando se algo acontecesse. Dando um suspiro e fazendo uma expressão de desanimo ele responde:

- Tudo bem, mas vamos ter cuidado, essas criaturas são traiçoeiras, devemos nos preparar primeiro.
Albert sorri e acena com a cabeça concordando.
Então os dois descem a encosta e vão para as suas casas para reunirem seus equipamentos e combinam de se encontrarem ao meio dia na entrada da vila.

Chegando a sua casa Albert rapidamente pega sua mochila, joga dentro dela seu cantil, 15 metros de corda, e um par de velas, aproveita e pega um pedaço grande de pão, afinal não sabe por quanto tempo irá procurar os goblins e não poderia fazer isso de estomago vazio! Sua mãe que observava toda aquela preparação, como se não passasse de mais uma das travessuras do filho apenas soltou um suspiro e disse:

- Não se atrase para o jantar e não se meta em encrencas.

- Claro, certo, deixa comigo, já estou indo, quando retornar serei um herói e terás grande orgulho de mim minha mãe - 
Albert sem dar muita atenção apenas responde.

Dizendo isto ele apanha a espada curta de seu pai sem que sua mãe veja e parte correndo rumo ao portão da cidade onde Vicent já o aguardava, ele estava apenas com o seu bastão de treinamento e Albert também notou a falta de mochila.

- Você não disse para nos preparamos? O que significa isso? Estas a pensar em lutar com nossos inimigos com sua arma de treino? E onde esta sua mochila ? Todo bom aventureiro tem uma! - Esbraveja Albert com Vincent que está com uma cara séria e apenas responde:

- Vamos caçar esses goblins ou não? Não se preocupe comigo, você já deve ter tudo que precisamos aí do jeito que você é exagerado, e nós não vamos demorar muito - Afirma Vicent imaginando que os goblins por serem criaturas de hábitos noturnos dificilmente seriam encontrados durante o dia e quando a fome chegasse, seu amigo iria preferir o jantar à caçada.

Os dois então saem do vilarejo e partem pela estrada rumo às proximidades da floresta onde supostamente os viajantes teriam sido atacados, sem saber que o destino lhes reservaria grandes surpresas naquele dia...


Notas:
- Reigokan(¹): Significa Os 5 Reis Espirituais, numa referencia aos 5 principais deuses, mas também poderia ser uma alusão aos 5 continentes ou mesmo as forças elementais.
- AD(²): Após Desastre, desastre esse que foi um grande cataclismo que ocorreu devastando reinos com terremotos, dilúvios e outros desastres naturais.
- Devon(³): O Deus Tirano da destruição e caos.

Um comentário:

  1. Só por curiosidade....

    Isto seria a historia do jogo Suikoden I do ps1????

    ResponderExcluir